Logo NatcoFarma Colorido

Azacitidina

Azacitidina

MS 100 mg: 1.8261.0011.001-0

Informações sobre Azacitidina

A Azacitidina de 100 mg é composta por frascos frascos ampolas que contêm 100 mg de azacitidina e 100 mg de manitol como excipiente.

O material utilizado é o pó liofilizado para suspensão injetável, por isso seu uso é restrito a hospitais. A aplicação deve ser feita de modo subcutâneo em adultos.

Descrição

A Azacitidina é um medicamento genérico, conforme a Lei 9.787/1999. MS 100 mg: 1.8261.0011.001-0.

Seu uso deve ser sempre orientado por médicos especialistas, quando os mesmos julgarem necessária a composição de 100 mg de azacitidina e 100 mg de manitol para o tratamento de doenças.

A aparência da Azacitidina é como um pó ou pedaço liofilizado branco a esbranquiçado. Quando reconstituída com água para injeção para administração subcutânea, pode ser armazenado por até 22 horas entre 2°C e 8°C, se a água para injeção for refrigerada, ou por até 8 horas entre 2ºC e 8ºC, se água utilizada não for refrigerada. Descartar a porção não utilizada.

Uso da Azacitidina: Sub Cutâneo

Por ser uma solução injetável, a Azacitidina deve ser aplicada apenas de modo subcutâneo. Seu manuseio deve ser sempre feito por profissionais, que saberão prepará-lo e aplicá-lo adequadamente.

É imprescindível que o uso do medicamento seja recomendado pela equipe médica, não se automedique!

Composição da Azacitidina

A Azacitidina é composta por:

  • 100 mg de azacitidina;
  • e 100 mg de manitol como excipiente.

Cada frasco ampola apresenta essa mesma composição para aplicação subcutânea.

Para que serve a Azacitidina?

A Azacitidina auxilia em tratamentos, provocando a hipometilação das células doentes da medula óssea, além de ajudar a medula óssea do paciente a funcionar melhor.

As células cancerosas e outras que se dividem com rapidez são mortas devido aos efeitos citotóxicos da azacitidina. Assim, aquelas células que não conseguem ser controladas por mecanismos de controle de crescimento normal também são extintas.

É por isso que a Azacitidina é recomendada para o tratamento das seguintes doenças:

  • Síndrome Mielodisplásica (quando há a alteração das células sanguíneas);
  • subtipos de anemia refratária (quando acontece a redução de células responsáveis pelo transporte de oxigênio e gás carbônico);
  • excesso de blastos (células sanguíneas imaturas que não exercem suas funções);
  • leucemia mieloide aguda (alteração sanguínea com excesso de células de defesa que não funcionam adequadamente);
  • leucemia mielomonocítica crônica (quando há alteração nas células de defesa em casos de mielodisplasia).

Vale lembrar que a Azacitidina não deve ser usada nos seguintes casos:

  • em pacientes com hipersensibilidade conhecida a azacitidina ou manitol;
  • em pacientes com tumores hepáticos malignos avançados;
  • em mulheres grávidas sem prescrição médica, já que o medicamento pode causar danos fetais.

Quais os efeitos colaterais da Azacitidina?

Os efeitos colaterais da Azacitidina que estão informados na bula como reações adversas, são:

  • anemia neutropenia;
  • trombocitopenia;
  • creatinina sérica elevada;
  • insuficiência renal;
  • acidose tubular renal;
  • hipocalemia;
  • e coma hepático.

Mas os efeitos colaterais ou reações adversas mais comuns da Azacitidina, são: 

  • náusea;
  • anemia;
  • trombocitopenia;
  • vômitos;
  • pirexia;
  • leucopenia;
  • diarreia;
  • fadiga;
  • eritema no local de injeção;
  • constipação;
  • neutropenia; 
  • e equimose. 

Como administrar Azacitidina?

A Azacitidina deve ser administrada em ciclos de tratamento, que são: 

  • Primeiro Ciclo de Tratamento: dose inicial de 75 mg/m2 por via subcutânea diariamente, durante sete dias. Os pacientes devem ser pré-medicados para náusea e vômitos;
  • Ciclos Subsequentes de Tratamento: podem ser repetidos a cada quatro semanas. A dose pode ser aumentada para 100 mg/m2 se nenhum efeito benéfico for observado após dois ciclos de tratamento e se nenhuma toxicidade que não seja náusea e vômito ocorrer.

A Azacitidina, por ser uma droga citotóxica e, assim como outros compostos potencialmente tóxicos, deve ser preparada com cautela e tomada durante a manipulação e preparação de suspensões. 

Se a azacitidina reconstituída entrar em contato com a pele, lave muito bem com água e sabão imediatamente.

Caso entre em contato com membranas mucosas, enxágue muito bem com água. O profissional de saúde saberá como preparar o medicamento.

Contato

Entre em contato conosco através de nossos canais de atendimento.