Pesquisar
Close this search box.
Logo NatcoFarma Colorido
Síndrome Mielodisplásica: o que é?

Síndrome Mielodisplásica: o que é?

Compartilhe esse post!

Todo ano, no dia 25 de outubro é comemorado o Dia 25 de outubro é o Dia Internacional da Conscientização da Síndrome Mielodisplásica (SMD), mas você sabe o que é essa doença?

Mielodisplasia ou Síndrome Mielodisplásica ocorre quando as células localizadas na medula óssea começam a apresentar problemas em sua produção e em seu amadurecimento, provocando assim um excesso de células jovens no organismo. Dessa forma, com o tempo, essa disfunção pode tornar essas células cancerosas, transformando-se em uma forma de leucemia.

Quais são os sinais e sintomas da Síndrome Mielodisplásica (SMD)?

Os principais sinais e sintomas da mielodisplasia são provocados por conta da redução de uma ou mais células do sangue: glóbulos vermelhos (eritrócitos ou hemácias), glóbulos brancos (leucócitos) e as plaquetas. Assim sendo os mais frequentes são:

  • Anemia(por conta da diminuição dos glóbulos vermelhos);
  • Leucopenia(redução dos glóbulos brancos);
  • Trombocitopenia(queda de plaquetas);
  • Perda de apetite e de peso, além de febre.

Fui diagnosticado com Síndrome Mielodisplásica (SMD). E agora quais os tipos de tratamento?

O diagnóstico da mielodisplasia pode se iniciar por meio da realização de um hemograma, que irá identificar os níveis das células no sangue, porém a confirmação se realiza com estudo da medula óssea, com a realização do mielograma e da biopsia da medula.

O tratamento da mielodisplasia considera diversos fatores como idade, se há doenças associadas, além da necessidade transfusional e se há risco de uma evolução do quadro para leucemia aguda, que pode ser classificada em mieloide ou linfoide. Existindo ainda remédios para a Síndrome Mielodisplásica.

Entre os tipos mais frequentes de tratamento da mielodisplasia estão:

  • Transfusão de hemácias e/ou plaquetas e utilização de fatores de crescimento(eritropoetina e GCSF), que estimulam o aumento das contagens de células, além da administração de antibióticos no caso de infecções;
  • Quimioterapia(tratamento que utiliza medicamentos para destruir as células doentes);
  • Transplante de medula óssea alogênico(substitui a medula óssea doente do paciente por uma nova vinda de doador compatível).
  • Medicação – indicada para pacientes com Síndrome Mielodisplásica dos subtipos Anemia Refratária com Excesso de Blastos (AREB), de acordo com a classificação FAB, Leucemia Mielóide Aguda com 20% a 30% de blastos na medula óssea com displasia multilinhagem, de acordo com a classificação OMS, e Leucemia Mielomonocítica Crônica, de acordo com a classificação FAB modificada.

Sintomas de mielodisplasia? Busque ajuda de um médico (a) especialista

Os profissionais da área de hematologia e oncologia são os especialistas que podem identificar a Síndrome Mielodisplásica.
Caso observe algum dos sintomas citados nesse post, é importante buscar auxílio médico.
Além disso, o acompanhamento frequente e a realização de exames periódicos podem identificar quaisquer alterações em seu organismo ainda no início.

 

Conclusão

A síndrome mielodisplásica é uma doença que acontece quando as células da medula óssea começam a apresentar disfunções na sua produção e amadurecimento.

Provocando sintomas como falta de ar, surgimento de hematomas, fadiga e palidez, a doença deve ser diagnosticada através do exame chamado de mielograma, avaliado por um profissional da área de hematologia e oncologia.

Caso comprovada, a síndrome mielodisplásica deve ser tratada através de transfusões, medicamentos e/ou transplantes de medula óssea, que retardam ou impedem a progressão para a leucemia mieloide aguda.

Compartilhe este artigo!

Gostou deste conteúdo sobre a Síndrome Mielodisplásica? Acompanhe todas as novidades no nosso blog e nas redes sociais Facebook e LinkedIn da NatcoFarma Brasil.

Ah, quer saber mais sobre outros temas? Então confira no nosso blog: “Conheça a Natcofarma”.

Leia também : O que é citomegalovirus: conheça os sintomas e métodos de prevenção

Veja também:

Contato

Entre em contato conosco através de nossos canais de atendimento.