Logo NatcoFarma Colorido
Medicamentos Oncológicos

Compartilhe esse post!

Medicamentos Oncológicos: O que é, Tipos e Lista Completa

Os medicamentos oncológicos podem ser utilizados no tratamento de diversos tipos de câncer.

A maior parte deles é aplicada diretamente na veia, mas também existem os que são usados por via oral.

No Simpósio de Farmácia Clínica do Instituto Vencer o Câncer, o oncologista Manoel Carlos Leonardis ressaltou que os quimioterápicos orais representam evolução no tratamento do câncer em bases moleculares.

Os medicamentos orais são chamados na oncologia de terapia alvo. Quer saber mais sobre este tipo de medicação e entender melhor sobre o assunto?

Então continue a leitura!

O que são medicamentos oncológicos?

Os medicamentos oncológicos são fármacos que agem a partir de diferentes mecanismos de ação, com objetivo de danificar ou mesmo destruir as células cancerosas de alta replicação.

Os antineoplásicos orais são um tipo de medicamento oncológico usado que tem o objetivo de corrigir essas interações que não deveriam acontecer.

Como o câncer se caracteriza por um crescimento desenfreado de células, o objetivo destes medicamentos é bloquear esse crescimento, mas vale destacar que nem todos os tumores podem ser controlados por drogas. 

Nas últimas décadas foi possível conhecer mais sobre os tumores e também aprimorar os medicamentos que os tratam.

Assim, doenças que antes não eram tratáveis com medicamentos, com o passar do tempo, puderam ser melhor controladas.

Para que servem medicamentos oncológicos?

Os medicamentos oncológicos servem para destruir as células cancerosas e impedir que o tumor se espalhe para outras células do corpo.

Como se sabe, uma das características dos tumores é que as células cancerosas entram na corrente sanguínea e se espalham para outras partes, substituindo os tecidos normais. . Esse processo é conhecido como metástase.

Além dos medicamentos oncológicos que são aplicados na veia, e os de  via oral, existem outros tipos de administração.

Vamos conferir todas elas:

  • via oral (pela boca);
  • intravenosa (pela veia);
  • subcutânea (abaixo da pele);
  • intramuscular (pelo músculo);
  • intratecal (pela espinha dorsal);
  • tópica (sobre a pele).

Muitas vezes, os cânceres podem ser curados desde que sejam tratados em estágios iniciais e, para isso, existe uma série de medicamentos que podem ser usados na quimioterapia e além dela.

Importância dos medicamentos oncológicos

Importância dos medicamentos oncológicos

Os medicamentos oncológicos podem ajudar no tratamento de câncer metastático, quando outros tratamentos já não tiveram respostas satisfatórias. Neste caso, os medicamentos visam o bloqueio do crescimento das células prejudiciais que causam os tumores. 

O tratamento vai depender de cada tipo de tumor, que pode ser  a cirurgia, a quimio, a radio ou a combinação de vários tratamentos.

No caso dos comprimidos orais, muitas vezes, é possível que o comprimido atue nos diversos eixos de crescimento das células bloqueando e fazendo com que elas parem de crescer.

O uso oral de medicamentos na pandemia, possibilitou que diversas pessoas pudessem dar sequência aos tratamentos em casa no período da pandemia.

Esse também foi um dos apontamentos trazidos no 3º Simpósio de Farmácia Clínica que foi promovido pelo Instituto Vencer o Câncer.

Tipos de medicamentos oncológicos

Conheça os principais tipos de medicamentos que podem ser usados no tratamento do câncer.

Hormonioterapia

Quando o crescimento do câncer é estimulado pela ação dos hormônios, como a progesterona, o estrogênio e a testosterona, o tratamento com inibidores hormonais costuma ter uma boa resposta na atuação contra o câncer.

Esse é o caso da maior parte dos cânceres de mama e de próstata. Segundo o National Cancer Institute, os cânceres de mama sensíveis a hormônios representam até 80% dos casos em mulheres e até 90% nos homens.

Uma das formas de realizar o tratamento é bloqueando a produção de hormônios no corpo. Entretanto, essa não é a única.

A outra forma é bloquear o receptor diretamente nas células cancerosas. Ambas as formas são consideradas muito efetivas.

Além disso, a hormonioterapia, como também é conhecida, também pode ser usada de forma preventiva em pessoas que possuam um risco elevado de desenvolver a doença.

Leia também: Câncer de pulmão: o que é, sinais, diagnóstico e tratamento

Imunoterapia

A imunoterapia aplicada à oncologia foi considerada pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), em 2017, um dos maiores avanços contra o câncer.

O objetivo dessa classe de medicamentos é potencializar o sistema imunológico e a sua capacidade de enfrentar o câncer.

Os princípios ativos desses medicamentos são capazes de estimular o sistema imunológico do próprio corpo de forma geral, além de identificar as substâncias causadoras do câncer e eliminá-las.

O mecanismo de atuação da quimio, por exemplo, faz o oposto, pois é focado em destruir as células cancerígenas, mas acaba afetando também as células boas.

Com a imunoterapia, o objetivo é ensinar as próprias células de defesa do corpo a reagirem.

Um efeito colateral ao qual o paciente que utiliza essa medicação está suscetível, é quando as células de defesa começam a atacar células saudáveis, gerando um processo autoimune.

Neste caso, é recomendado parar o tratamento o quanto antes.

Citotóxicos

A classe de medicamentos citotóxicos tem o objetivo de causar danos às células cancerígenas, sendo capazes de reduzir o tumor.

Estas células se multiplicam de forma rápida e, por isso, a ação do medicamento é a de inibir ou suprimir esse crescimento celular.

Com essa ação é possível retardar o crescimento do tumor e aumentar a chance de cura para a doença.

Essa classe de medicamentos teve um grande impacto na oncologia, pois possibilitou o tratamento de diversas neoplasias, beneficiando pacientes e colaborando com toda a equipe multidisciplinar destinada ao tratamento do câncer.

Um dos maiores problemas dos citotóxicos são, no entanto, os seus efeitos colaterais bastante característicos, pois afetam também células boas. Eles têm influência principalmente nas células do corpo que possuem um crescimento acelerado.

Por isso, origina-se a queda de cabelo e da imunidade, náuseas, entre outros sintomas.

Inibidores de sinalização

Tipos de medicamentos oncológicos

Os inibidores de sinalização são um tipo de medicamento oncológico que têm como função desligar determinados sinais que o corpo emite para evitar o crescimento das células cancerígenas.

Isso acontece porque em alguns tipos de câncer é o próprio corpo que envia sinais normais, mas as células cancerígenas entendem que esses sinais são para se reproduzirem mais.

O que o medicamento faz é evitar que os sinais enviados pelo corpo cheguem até as células cancerígenas, diminuindo a sua reprodução.

Isso pode acontecer em determinados tipos de câncer, como o de mamas e o de intestino, por exemplo.

Lista de medicamentos oncológicos Anvisa

No site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é possível consultar toda a lista de medicamentos oncológicos aprovados e registrados para uso no país.

Como funciona o tratamento com medicamentos oncológicos?

Cada patologia vai ser entendida pelos médicos oncológicos de forma objetiva e considerando as particularidades de cada tipo de tumor e também de cada paciente.

Isso porque o tratamento de câncer deve ser individualizado. Nunca deve ser considerado o mesmo tratamento para o mesmo tipo de tumor sem que sejam consideradas as condições de cada paciente.

O médico oncologista atua junto com uma equipe multidisciplinar que vai dimensionar e entender a patologia de forma integrada e completa.

A partir daí o médico pode receitar os medicamentos oncológicos e outros tipos de tratamento com os objetivos de curar, redimir ou manter os cuidados paliativos com a patologia.

  • Curativo – o tratamento curativo e a busca por um tratamento eficiente é necessário mesmo que as chances de cura do paciente sejam pequenas. O objetivo final é a cura completa da doença.
  • Remissão – Quando a cura não é possível, é necessário buscar a remissão da doença, para fazê-la regredir o máximo possível.
  • Cuidados Paliativos – Neste caso, é necessário garantir ao paciente uma melhora da qualidade de vida dentro do que for possível, além de prolongar a vida do paciente com qualidade.

A Natcofarma é responsável pela comercialização de diversos medicamentos oncológicos no Brasil e em outros países.

Conheça nossos produtos!

Conclusão

Entre os objetivos dos medicamentos oncológicos estão o de bloquear o crescimento das células cancerígenas e aumentar a ativação do sistema imunológico contra o crescimento das células problemáticas.

Também entram nessa lista de objetivos a busca por inibir a sinalização do corpo frente a alguns tipos de câncer e desestimular a ação dos hormônios em determinados tipos de cânceres.

Essas são alguns tipos de medicamentos e suas formas de atuação no tratamento de diversos tipos de neoplasias.

Esses medicamentos estão evoluindo, assim como a tecnologia empregada no desenvolvimento deles e felizmente hoje já é possível tratar diversos tipos de câncer que antes não tinham solução.

Veja também:

Contato

Entre em contato conosco através de nossos canais de atendimento.